A múmia mais antiga do ocidente estará em exposição..

Adquiridos a partir de escavações no local sagrado de Abidos no Médio Egito pelo Professor de Teologia da Emory, William A. Shelton, em 1920, essa múmia é a mais antiga múmia egípcia no hemisfério ocidental. Ela é um dos cerca de 120 itens que estarão na exposição. Exames atuais que estão sendo realizadas no Hospital Emory e no laboratório do Museu Carlos de conservação prometem revelar muito sobre as origens pouco compreendidas da mumificação no Egito. Nenhuma outra múmia desta data tem sido investigada com o uso de modernos procedimentos científicos, tais como digitalização-CT, datação por radiocarbono, tipagem sanguínea e análise espectroscópica.


Um dos artefatos que estarão em exposição entre os dias 10 e 11 de setembro



A exposição também irá colocar a múmia dentro do contexto da prática de mumificação do antigo Egito, o enterro, e o culto dos mortos, bem como explorar as mudanças sociais e políticas que marcaram o fim da Era das Pirâmides. O desenvolvimento do sitio de Abidos e o culto de Osíris também serão um foco da exposição. Recém-conservada para esta amostra, a múmia será apresentada pela primeira vez em mais de uma geração e devido à sua fragilidade, ela só vai ser vista no Museu Carlos. A exposição acontecerá entre os dias 10 e 11 de setembro e maiores informações em http://carlos.emory.edu/Old-Kingdom-Mummy.

 

Fonte: http://carlos.emory.edu/Old-Kingdom-Mummy.

 

avatar

Sobre Administrador

Natural de Criciúma – SC, Graduado e Pós-Graduado em História pela UNIASSELVI – SC, com ênfase no Antigo Egito. Apaixonado pelos antigos egípcios e com planos de em breve estar definitivamente morando/trabalhando no Egito.