Acompanhe diariamente uma equipe de Arqueólogos no Egito..

Acompanhe on-line, o egiptólogo Betsy Bryan da Universidade Johns Hopkins e sua equipe de estudantes, artistas, curadores e fotógrafos regressarem em sua investigação sobre o Templo de Mut este mês, centrando a sua atenção para a zona sul do templo do lago sagrado. Bryan e sua equipe estão retomando sua escavação em Luxor, no Egito, e estão compartilhando o seu trabalho através do site “Hopkins no Egito Hoje”, um diário popular digital (em inglês) que oferece uma janela virtual para a vida do dia-a-dia em uma escavação arqueológica.

Com o aparecimento de novos posts por dia até o final de janeiro, os visitantes “Hopkins no Egito Hoje” em www.jhu.edu/egypttoday vão encontrar fotos do Bryan e seus colegas de trabalho no local, em Luxor. Nos últimos anos, a escavação em curso centrou-se no âmbito do próprio templo e ao redor do perímetro do lago sagrado, o chamado Isheru. Este ano, Bryan e sua equipe retornam para a área atrás do lago, onde áreas industriais para panificação, cerveja, faiança (cerâmica vidrada) e produção de cerâmica foram descobertas entre 2002 e 2006. Em 2005, Elaine Sullivan identificou um depósito de construção de tijolo de barro nas imediações, da 25º Dinastia. Este ano, o trabalho continua para o leste da área, começando em um ligeiro aumento no nível do solo existente.


Uma das fotos do diário, no dia 09 de Janeiro de 2011



O objetivo do site “Hopkins no Egito Hoje” é educar os visitantes, mostrando-lhes os elementos de trabalhos arqueológicos em curso. As fotos diárias e legendas detalhadas enfatizam não só as descobertas, mas o trabalho em equipe entre Bryan, seus colegas e alunos. Esse trabalho em equipe é essencial para uma escavação de sucesso, disse Bryan. O site normalmente acumula mais de 50.000 visitas a cada inverno, quando a escavação geralmente é ativa.

De acordo com Bryan, Luxor moderna é rica em achados, como a grande descoberta feita pela equipe da Universidade Johns Hopkins em 2006: uma estátua de 3.400 anos de idade, quase intacta da rainha Tiye, uma das rainhas do poderoso rei Amenhotep III. Bryan disse que a estátua é “uma das verdadeiras obras-primas da arte egípcia.” Seu trabalho é financiado por doações do Centro Americano de Pesquisa do Egito e da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional.


Acesse o diário: Clicando Aqui

avatar

Sobre Administrador

Natural de Criciúma – SC, Graduado e Pós-Graduado em História pela UNIASSELVI – SC, com ênfase no Antigo Egito. Apaixonado pelos antigos egípcios e com planos de em breve estar definitivamente morando/trabalhando no Egito.