Indícios de câncer em um homem que viveu no antigo Egito..

Pesquisadores encontraram indícios de câncer em um esqueleto de um homem que teria entre 25 e 35 anos e que viveu no Egito Antigo há cerca de 3.200 anos. A nova descoberta, divulgada na publicação especializada Plos One, sugere, segundo o repórter de ciência da BBC Pallab Ghosh, que a doença não estaria somente ligada a fatores frequentemente associados ao mundo moderno, como o sedentarismo, o fumo, o estresse e a longevidade.


_73648712_skelton1


A descoberta foi feita pela estudante de PhD Michaela Binder, da Universidade de Durham, em um esqueleto encontrado por ela no Vale do Nilo, no Sudão, em uma região que teria sido habitada no período do Egito Antigo. Binder descobriu que os ossos do esqueleto estavam cheios de buracos. Por meio de análises, realizadas em conjunto com pesquisadores do British Museum, em Londres, ela descobriu que os buracos indicavam metástases de câncer.

“Fiquei surpresa em encontrar esse tipo de câncer em um indivíduo do Egito Antigo, de 3.200 anos. Ainda não sabemos muito sobre a história do câncer, só foram encontrados alguns poucos indícios de câncer com mais de mil anos”, disse Michaela Binder.

Os cientistas acreditam que esta seria a evidência mais antiga de câncer já encontrada.

Maiores informações: http://www.bbc.com/news/science-environment-26627941 (em inglês)

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/03/140318_cancer_esqueleto_bg.shtml

avatar

Sobre Administrador

Natural de Criciúma – SC, Graduado e Pós-Graduado em História pela UNIASSELVI – SC, com ênfase no Antigo Egito. Apaixonado pelos antigos egípcios e com planos de em breve estar definitivamente morando/trabalhando no Egito.