Introdução aos Hieróglifos

Como visto no link dos Hieróglifos Egípcios, eles podem ser escritos em colunas ou em linhas e a sua leitura inicia da esquerda ou da direita, conforme apontem os sinais.

Eles são sempre lidos de cima para baixo. No exemplo, vemos que os hieróglifos apontam para a direita, então a leitura nesse caso começará da direita para a esquerda. Caso eles apontassem para a esquerda, a leitura seria igual à nossa, da esquerda para a direita.



A escrita egípcia contém apenas consoantes e semiconsoantes e não possui espaços entre um hieróglifo e outro. Os escribas agrupavam os sinais a fim de deixá-los visualmente mais harmoniosos. Não sabemos como os egípcios falavam, qual era o seu sotaque e como pronunciavam as palavras, pois como os egípcios não escreviam vogais e o idioma não é mais falado não temos ideia concreta de como as conversas entre os antigos egípcios soavam.

Basicamente a escrita é formada por três tipos de sinal:

 

Fonogramas

São usados para representar os sons e estão divididos em três subcategorias de sinais:

Unilíteros (Representam uma consoante);
Bilíteros (Representam duas consoantes);
Trilíteros (Representam três consoantes).

Veremos essas três subcategorias mais à frente.

Um exemplo de fonograma bem conhecido é esse:

 

 

O sinal da coruja é um unilítero, tem o som de “M” e é usado para escrever palavras que tenham o som de “M”. Em egípcio a palavra preto é lida “kem”, e o sinal da coruja nesse caso é usado como um fonograma (complemento fonético) para escrever a palavra preto.

Ideogramas

São sinais que expressam uma ideia mas não expressam qualquer tipo de som.

O sinal da coruja, por exemplo, é uma maneira de se referir a uma coruja sem ter que escrever as letras C – O – R – U – J – A. Nesse caso o sinal representa o que ele é. Então já sabemos que um mesmo sinal poderá ser um fonograma em uma frase ou um ideograma em outra, e isso dependerá apenas do contexto em que ele está inserido.


Determinativos

São sinais que determinam a que grupo pertence a palavra, sempre colocados no fim desta. Os egípcios usavam os determinativos para saber do que a palavra ou a frase se tratava, já que, por não existirem vogais, muitas palavras eram escritas da mesma maneira.

Veja alguns determinativos:

 



Quer mais livros sobre o tema? Clique aqui.

Artigos, teses e matérias sobre o antigo Egito? Clique aqui.

Autor: Lucas Ferreira



Fontes / Referências:

– ALLEN, J. P. Middle Egyptian: an introduction to the language and culture of hieroglyphs. Publisher: Cambridge University Press, 2001.

– BAINES, John; MALIK, Jaromir. Cultural Atlas of Ancient Egypt. London: Andromeda Oxford Limited, 2008.

– BBC, Documentary. Chapter 6 – The Secrets of the Hieroglyphs (no Brasil: Capítulo 6 – O Segredo dos Hieróglifos)


Sites / Referências:

http://www.reshafim.org.il/ad/egypt/

– http://hieroglyphs.net

avatar

Sobre Administrador

Natural de Criciúma – SC, Graduado e Pós-Graduado em História pela UNIASSELVI – SC, com ênfase no Antigo Egito. Apaixonado pelos antigos egípcios e com planos de em breve estar definitivamente morando/trabalhando no Egito.