Início Antigo Egito OVNIs, E.Ts e o antigo Egito.

OVNIs, E.Ts e o antigo Egito.

146
9
COMPARTILHAR

Tenho recebido uma quantidade enorme de perguntas através dos meios de comunicação do site, sobre o tema UFO e o Antigo Egito. A popularidade dos documentários, filmes e séries que abordam o tema, explica em parte esse desejo pelo “conhecimento ocultado”.

Antes de iniciar, eu gostaria de comunicar que esse será um espaço aberto a discussões. As perguntas serão analisadas e discutidas com o único intuito de informar os leitores/pesquisadores.

Realizada as ressalvas necessárias, vamos começar.

 

Sem medo de errar, a pergunta mais popular é: As pirâmides do antigo Egito foram construídas por seres do espaço?

Antes de analisarmos essa questão é preciso fazer uma observação. Qual pirâmide a pergunta se refere? Existe mais de uma centena de pirâmides conhecidas, e com os recentes estudos realizados por satélites, o número será bem maior. Para entender as novas descobertas e a tecnologia utilizada, eu sugiro a Dra. Sarah Parcak.

Site Oficial: http://www.sarahparcak.com/ 

Perfil na National Geographic: http://www.nationalgeographic.com/explorers/bios/sarah-parcak/

 

Dito isso, vamos nos focar no complexo de pirâmides de Gize, o mais famoso e conhecido pelo grande público. Apesar de outros autores já terem mencionado uma ajuda extraterrestre na construção dos megalíticos espalhados pelo mundo, foi o escritor suíço Erick Von Daniken que popularizou o tema, quando um de seus livros, Eram os Deuses Astronautas, virou documentário e caiu no gosto popular.

Quando você cria uma teoria que vai na contramão das evidências é preciso demonstrar que existe, no mínimo, uma lógica. An?!! Vou exemplificar…

Suponhamos que eu diga que no antigo Egito todos os animais eram RACIONAIS e dominavam a civilização.

Você dirá: “Isso é loucura!” Mas, eu posso insistir e te mostrar PROVAS IRREFUTÁVEIS da minha TEORIA! Veja:

Primeira Imagem: Podemos ver claramente a habilidade do felino em usar um objeto para matar seu inimigo, a cobra! Com certeza, o próprio felino confeccionou esse objeto e colocou humanos para trabalhar como escravos.

Segunda Imagem: O Templo de Efdu,  dedicado ao Falcão. Outra evidência IRREFUTÁVEL da RACIONALIDADE do Falcão, que gosta de ser chamado de Horus e ordenou aos seus escravos humanos a construção de seu templo. 

Terceira Imagem: A escrita egípcia tem uma grande quantidade de representação de animais. Eles (os animais) criaram a escrita e optaram por ficar em evidência. 

 

Viu? Aí estão as provas! No entanto, eu tenho que ABDICAR de TODAS AS OUTRAS imagens de animais sendo domesticados pelo homem para que a minha teoria possa ter sentido.

É o que ocorre na maioria dos casos. As teorias se baseiam apenas nos pontos que convém e ignoram todas as outras evidências que apontam para o outro lado. Pense: Não é porque não se pode explicar algo, que foi usada tecnologia de outro mundo. Nós vamos debater isso mais a frente.

É preciso filtrar as informações. “Ah, mas eu não sou especialista!” Não precisa ser. Apenas questione. Se a tecnologia de outro planeta foi usada para construir uma pirâmide (a grande pirâmide), porque não foi usada para construir as pirâmides anteriores que deram errado? Por que existem ferramentas primitivas utilizadas no processo das construções e que estão catalogadas nos museus ao redor do mundo? Elas (as ferramentas) foram construídas apenas para disfarçar toda a tecnologia alienígena? Etc, Etc, Etc…

Em 2630 a.C.[1], os governantes egípcios começavam a adotar uma nova arquitetura para o descanso do seu corpo físico na passagem para a vida eterna. Segundo Baines e Malik (2008, p. 138), ainda que elas visassem a um mesmo propósito, as pirâmides diferiam em formas, dimensões, estruturas internas e outros detalhes. Eram de dois tipos básicos: a pirâmide escalonada e a autêntica (clássica). Uma nítida evolução nos modelos propostos ocorreu até a estrutura piramidal propriamente dita.

Observe a evolução numerada das pirâmides do antigo Egito. Poderíamos abordar cada etapa e seus elementos, mas faltaria espaço para tal. Sobre a evolução das pirâmides, indico o seguinte livro: BAINES, John; MALIK, Jaromir. Cultural Atlas of Ancient Egypt. London: Andromeda Oxford Limited, 2008.

Sabemos que do outro lado, há inúmeras teorias sobre a construção da grande Pirâmide.

Qual delas é a correta? O fato é que não há um consenso entre os egiptólogos, entretanto, volto a reforçar: não é porque ainda não conhecemos algo, que é necessário criar uma explicação fantasiosa, ignorando todas as outras evidências.

De todas as teorias que eu já estudei, talvez a mais injustiçada  é a desenvolvida em 1974 pelo Francês Joseph Davidovits. Segundo ele, as pedras da grande Pirâmide são sintéticas. Elas foram criadas artificialmente através da mistura de elementos abundantes no Egito, do mesmo modo que hoje podemos criar blocos com argamassa. NUNCA deixaram ele recolher material para análise, sendo que teve que ir como turista coletar amostras. Posteriormente, uma equipe (Michel Barsoum, Gilles Hug e Adrish Ganguly) atualizou a sua pesquisa (2006), mostrando que houve uma mescla de pedras sintéticas e naturais na estrutura da grande Pirâmide. Em uma passagem épica, o então Chefe de Antiguidades do Egito, Zahi Hawass disse: “As pirâmides foram restauradas muitas vezes com o uso de concreto. Quem não garante que as amostras que eles pegaram são das reformas?”. Então Michel Barsoum respondeu enfaticamente:  “Eu teria que ser um completo idiota para confundir cimento Portland com aquilo que examinei”.  A briga de Egos/Interesses leva a essas lacunas na Egiptologia.

Para conhecer sobre a teoria citada, eu recomendo o livro: As Pirâmides: A solução de um enigma, dos autores Dr. Joseph Davidovits e Margie Morris – 1988.

Em 2013, arqueólogos descobriram papiros (considerados os mais antigos encontrados até hoje no Egito) que mencionam informações valiosas sobre a vida cotidiana na época do faraó Khufu (Queóps). Um dos papiros encontrados relata as atividades de um funcionário nomeado Merrer, que estava ligado com a construção da Grande Pirâmide.  “Embora não se aprenda nada de novo sobre a construção do monumento erigido por Quéops, este diário fornece pela primeira vez uma visão sobre este assunto.” Disse Pierre Tallet, um dos arqueólogos chefes envolvidos na missão. Para conhecer as descobertas, leia o artigo publicado em 2014 por Pierre Tallet e Gregory Marouard: THE HARBOR OF KHUFU on the Red Sea Coast at Wadi al-Jarf, Egypt. (Em inglês)

 

Mas e o Helicóptero e a Nave espacial esculpidos no Templo de Abydos? Apesar de amplamente explicado por egiptólogos e reproduzido nos mais variados sites e livros, farei uma análise por outra perspectiva.

egypt-3d

 

Antes de iniciar, quero fazer algumas reflexões:

1- Os seres de outros planetas eram tímidos? É no mínimo estranho eles construírem a Grande Pirâmide e após mais de mil anos escolherem o canto superior de um templo para dizer: “Olha só nossa frota estrelar”. Os teóricos precisam decidir: Em relação ao Egito, os seres galácticos querem ou não aparecer?

2- Por que as publicações mostram a imagem desfocada e apenas o conjunto dos supostos veículos? Qualquer um pode pensar que a imagem acima é uma parte de destaque no templo e que não há outros hieróglifos que formam um contexto. Lembram-se da teoria dos ANIMAIS RACIONAIS? Pois bem, é preciso ignorar todos os outros hieróglifos em templos, pirâmides, papiros e tudo que a egiptologia conhece da escrita egípcia para que a imagem possa ter sentido.

 

aby

 

Antes de a imagem ganhar a mídia e receber a calorosa acunha de “temos a prova definitiva!”, é preciso dizer que os egiptólogos já conheciam esse tema há muito tempo.

Há uma passagem atribuída a Albert Einstein que serve para ilustrar a explicação:

Um jornalista perguntou a Einstein:
– “O senhor poderia me explicar a Lei da Relatividade?”
E Einstein lhe respondeu:
“O senhor pode me explicar como se frita um ovo?”
O jornalista o olhou intrigado e respondeu:
– “Claro que sim, posso”.
Ao que Einstein replicou:
– “Bem, então o faça, mas imaginando que eu não saiba o que é um ovo, nem uma frigideira, nem o óleo, nem o fogo…”

Se essa conversa realmente existiu, pouco importa, mas ilustra muito bem a dificuldade de explicar sobre a escrita egípcia para alguém que não conhece o mínimo de suas regras.

Veja o que a Egiptóloga Katherine Griffis-Greenberg diz:

“Eu temo que vocês foram sujeitos à famosa historia do “helicóptero de Abydos”. Há uma explicação simples ao que vocês estão vendo, pelo menos, como nós vemos isso na egiptologia. Não há mistério aqui; é apenas um palimpsesto (Algo que foi escrito mais de uma vez, sem que a escrita anterior seja completamente apagada). Foi decidido na Antiguidade substituir o título real de cinco camadas de Seti I pelo de seu filho e sucessor, Ramsés II […]  O que está acontecendo nas fotografias é bem claro; apenas consultem Juergen von Beckerath, Handbuch der aegyptischen Koenigsnamen, Muencher aegyptologische Studien 20, páginas 235 a 237. Essa questão aparece de vez em quando em listas acadêmicas na internet como a Anciente Near East (ANE) e outras, então nós todos estamos bem familiares com ela.

Sinceramente,
Katherine Griffis-Greenberg
Membro, Centro de Pesquisa Americana no Egito
Associação Internacional de Egiptólogos
Univ de Akabama em Birmingham
Estudos Especiais”
 abydos2

 

Além do livro indicado pela Katherine, acesse esse site e veja que os estudos levados a sério não compactuam com qualquer factoide: http://www.fenomenum.com.br/ufo/investigacao/abydos/abydos.

 

E o Poder das Pirâmides? Essa questão quase sempre vem atribuída com um suposto poder alienígena capaz de realizar maravilhas.

Mas afinal, onde começou? Em 1930, o radiestesista francês Antoine Bovis, ao realizar uma visita na grande Pirâmide, observou corpos de pequenos animais que ficaram presos dentro dela e não mostravam sinais de decomposição. Intrigado ao ver que os animais estavam desidratados (uma mumificação natural), retornou para França e montou uma réplica com medidas proporcionais a da grande Pirâmide. Ao longo dos testes, concluiu que ao utilizar as proporções e o alinhamento norte-sul, ela concentrava uma força/energia capaz de desidratar corpos orgânicos sem que eles apodrecessem.

Com a notícia que algo existia na grande Pirâmide, dezenas de pesquisadores começaram a fazer testes e, assim como ocorre em todas as áreas, pessoas começaram a ver um gigantesco e lucrativo negócio, tornando difícil distinguir as pesquisas sérias das sensacionalistas.

 

 

Eu já realizei alguns testes (com frutas, carnes…) e presenciei um efeito (bússola desorientada) dentro de uma Pirâmide Casa construída na cidade de Criciúma – SC. Apesar da falta de estudos científicos sobre o tema, todos os fenômenos podem ser obtidos de outras fontes, ou seja, as propriedade alegadas; desidratação/conservação de alimentos, tratamento de plantas e áreas da saúde (analgésica, anti-inflamatória, sedativa…) já são obtidas por diversos meios como climatizadores, estufas e medicamentos. De um lado, isso explica o desinteresse dos cientistas renomados, do outro, muitas pessoas ao redor do mundo se dedicam a estudar essa “força/energia” mostrando-a como algo natural. No entanto, nenhum pesquisador sério cita uma suposta energia criada pelos extraterrestres exclusivamente para a grande Pirâmide. Apenas os sensacionalistas o fazem. Outras fontes com efeitos parecidos foram observadas ao longo da história: procurem por Caixa Orgônica de Wilhelm Reich.

 

Nos e-mails que eu recebo, uma grande parte termina com a seguinte pergunta: Você acredita em EXTRATERRESTRES? A minha resposta é bem simples e direta. SIM, eu acredito. Minha mente não me permite achar que em um universo/multiversos com possibilidades incontáveis, apenas NÓS existiríamos. Entretanto, querer levar o tema ao sensacionalismo extremo, não faz parte, nem de longe, do que penso e estudo.

Costumo dar credibilidade aos relatos das pessoas. Não acho que um senhor que vive no campo, cuidando do seu sítio ou descansando de uma vida árdua, invente um suposto avistamento de um OVNI apenas por diversão. É preciso investigar, estudar, e acima de tudo, não tentar preencher a falta momentânea de explicação com crenças pessoais.

Talvez o maior problema que as pessoas honestas enfrentam ao estudar a ufologia é a disseminação de notícias falsas. Sites de humor cansam de criar HOAX sobre o tema e parecem não enfrentar muita resistência. É necessário criar filtros, não apenas na ufologia, mas em todas as áreas da vida. Os aficionados pelo tema precisam deixar de lado a “empolgação” momentânea que o assunto proporciona e começar a procurar grupos de estudos voltados para o autoconhecimento, ao invés da busca pela fama em cima de um tema que desperta tanta curiosidade.

 

Autor: Lucas Ferreira

 

[1] A datação da cronologia egípcia utilizada é originária de: BAINES, J.; MALIK, J. Cultural Atlas of Ancient Egypt. London: Andromeda Oxford Limited, 2004.

9 COMENTÁRIOS

  1. Tenho bastante interesse na cultura do Antigo Egito, mas vejo que acreditar sempre que algo bom foi feito por extraterrestre é como não acreditassem que a humanidade fosse capaz.
    E a humanidade foi e é capaz, só falta tirarem algumas crenças do caminho.
    Adorei a página.

  2. Olá, Lucas!

    Tudo bem? Parabéns pelo artigo, está muito bem escrito e desmistifica muitas lendas e deduções precipitadas criadas por conspiradores ou ufólogos desinformados. A Ufologia é algo sério e merece ser tratada como tal, por isso, textos com esse, são de imensa preciosidade à comunidade ufológica.

    Abraços.

    • Olá Ju, tudo bom? Fico feliz que você gostou do artigo.

      Desmistificar/Desmitificar: Essa foi a ideia ao escrever o texto.

      Te conheço algum tempo e sei que você tenta filtrar o máximo de informações em relação ao tema. Continue assim que chegarás mais longe do que já chegou.

      Até mais.

  3. As pessoas ignoram ou não sabem mesmo que Erich Von Daniken é um conhecimento picareta que roubou ideias de outros picaretas antes dele e ficam reforçando essa ideia maluca e despropositada de aliens nos visitaram, empilharam pedras e se mandaram.

    A explicação pra isso é bem simples a meu ver: RACISMO. Sim, pois ninguém atribui o Coliseu em Roma a alienígenas, mas as pirâmides no Egito, as cidades incas, maias e astecas, ahhh, bem, esses povos incultos só podem ter ajuda de ETs, né?

    Essas pessoas têm é vergonha de admitir que seres humanos dotados de força física e inteligência eram mais inteligentes do que elas são hoje em dia. Então, atribui pra aliens que é melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

*