Início Notícias da Egiptologia Raras inscrições do Livro dos Mortos em uma mortalha são estudadas..

Raras inscrições do Livro dos Mortos em uma mortalha são estudadas..

35
0
COMPARTILHAR

Especialistas do Museu Britânico descobriram o segredo de um pacote frágil: é um pano de um enterro do antigo Egito de pelo menos 3.000 anos atrás e é todo coberto com escrita hieroglífica preta e vermelha com as magias do Livro dos Mortos Egípcios. Estudos ainda estabeleceram o nome da mulher que foi enrolada em torno do pano.

O pacote foi dado pelo Museu do Castelo de Norwich em 1920, pelas filhas de James Jeremiah Colman, que haviam obtido durante uma visita ao Egito em 1897. Um catálogo com capa de couro, estampados com motivos florais egípcias e detalhando as “curiosidades Egípcias”, foi feita pelo egiptólogo, James Quibell. Enquanto alguns dos objetos tinha detalhes completo de onde eles foram comprados, tudo o que foi listado sobre o pano foi: “Roupa de linho: coberta com inscrições a partir do Livro dos Mortos. A múmia no caixão era frequentemente coberta com um lençol de linho deste tipo.” O pano chamou a atenção de Faye Kalloniatis, associado a pesquisa e responsável pela coleção egípcia do Museu do Castelo.


Estudiosos estudam as inscrições consideradas raras


Através de uma parceria entre os museus regionais e nacionais, foi embalado com cuidado em Janeiro e levado para Londres para os peritos estudá-lo. Curadores do Museu Britânico construiram uma tenda de tubos plásticos e lonas para colocar o manto de modo que o trabalho pudesse ser feito. umidificadores ultrasonico foram utilizados para controlar o ambiente para que o pano pudesse ser desenrolado sem danificá-lo, e após três dias de trabalho cuidadoso, 1.4m por 1.6m do pano havia sido revelado.

Kalloniatis disse: “À medida que abrimos, vimos que era completamente preenchido com linhas de inscrições em vermelho e preto, que são magias do Livro dos Mortos. São magias que as pessoas mortas necessitavam para chegar à vida após a morte e o que é realmente interessante é que é raro encontrar inscrito em um pano como este. Era comum a utilização desses escritos em papiro para os feitiços do Livro dos Mortos e não sobre inscrições em panos, por isso é bastante raro.”


Dentro do cartucho, contém o nome do Faraó Miquerinos.


Os hieróglifos ainda estão sendo traduzidos, mas os peritos confirmaram que estava enrolado os restos mumificados de uma mulher de estatus chamada de Ipu, filha de Mutresti. Acaba de ser o projeto mais surpreendente. Já que o pano é tão frágil, que provavelmente não vá ficar em uma exposição permanente, uma vez que volta a Norwich.

Um grande estudioso alemão Irmtraut Munro publicou dois trabalhos de grande volume sobre mortalhas de múmias da 18ª dinastia no Museu de Antiguidades Egípcias, no Cairo. Os estudiosos consultaram esta e surpreendentemente, revelaram que ela incluía o manto de uma dama chamada Ipu, filha de Mutresti, coberto com magias do Livro dos Mortos. A fotografia no volume mostraram que a caligrafia é a mesma que no pano de Norwich e que a peça do Cairo também é incompleta, por isso quase certamente eram partes do mesmo tecido. De onde eles vêm e como eles se separaram? Há, claramente, mais para ser descoberto sobre esse objeto notável. Declaram os estudiosos sobre a descoberta.


Estudiosos desenrolando o pano com cuidado em uma das sessões de análise


Mais informações acerca dos estudos completos estão no blog do Museu Britânico, acesse-o clicando Aqui.



Fonte: http://www.edp24.co.uk/

DEIXE UMA RESPOSTA

*